BIG SALES

VENHA SER BIG!

previsão para as vendas de Natal

A previsão para as vendas de Natal é de um crescimento de 7,5% em relação ao ano passado

 

As projeções para as compras de Natal deste ano mostram que os artigos eletrónicos serão o segmento de maior procura dos consumidores online. Como esperado, a moda vem em segundo na preferência dos e-shoppers. Estes dois segmentos, segundo estudos, irão puxar a recuperação do retalho em 2023, que deve fechar com crescimento ante à inflação do ano passado.

Roupa, calçado e acessórios lideraram a lista de produtos online mais consumidos na Europa em 2022. O setor cativou 68% dos utilizadores online, ao passo que produtos de multimédia, refeições ou cosméticos vieram logo depois. As vendas online cresceram ao longo do ano, apesar do período negativo para o consumo.

 

Um Natal bem mais otimista em 2023

Este ano, as projeções são bem mais otimistas: De acordo com a consultoria eMarketer, as vendas online na Europa durante o Natal de 2023 devem atingir os 124,1 mil milhões de euros. Este resultado representa um crescimento de 7,5% em relação ao ano anterior.

Os setores de eletrónicos e de moda, que normalmente registam as maiores vendas no fim do ano, devem atingir uma faturação de 23,5 mil milhões de euros e 22,4 mil milhões de euros, respetivamente. Em seguida, a previsão é que os segmentos de acessórios pessoais (12,2 mil milhões), brinquedos e jogos (10,1 mil milhões) e produtos de beleza e cuidados pessoais (9,9 mil milhões) sejam os mais bem-sucedidos em vendas online.

Os principais países europeus, em termos de vendas online no Natal de 2023, devem ser: o Reino Unido (29,7 mil milhões de euros), a Alemanha (27,3 mil milhões), a França (21,2 mil milhões), a Itália (15,9 mil milhões) e a Espanha (13,7 mil milhões).

 

Depois da tempestade vem sempre a bonança

Segundo o relatório da Confederação Ecommerce Europe de 2023, apesar do período de inflação, que prejudicou um pouco o crescimento do setor, o comércio eletrónico europeu permanece muito forte. Embora não tenha tido prejuízos, o ecommerce apresentou retração na primeira vez da história.

Os dados do primeiro trimestre deste ano, a princípio, mostraram certa estabilização, mas logo em seguida, no segundo trimestre, as vendas online já cresceram. O índice ficou em 1% na Europa, com Alemanha (+3%), França (+3%) e Espanha (+11%) a apresentarem forte crescimento positivo.

 

O ecommerce é já fundamental para o retalho mundial

Baseado nos dados da Eurostat, o relatório mostra que, em 2023, a presença online foi vital para muitos retalhistas. A recuperação do comércio eletrónico teve grande peso, sobretudo as pequenas empresas.

Mais ainda, cerca de 81% das compras online foram para vendedores nacionais e 37% para um país estrangeiro. Em detalhe, 31% dos europeus encomendaram a vendedores localizados noutros países europeus, ao que se junta os 19% que encomendaram de um país fora da Europa e 15% de um país não identificado.

Os países da Europa Ocidental e do Norte continuam a ser os maiores mercados europeus para vendas online, com 87% e 85% dos compradores online, respetivamente. Em seguida, a Europa Ocidental gera sozinha 67% das vendas online europeias.

 

Leia também: Black Friday deve atingir os 130mi € em Portugal

Quer ter também o seu negócio online? Venha falar connosco!